Volta de instalação – Ferrari 87/88B On-Board

Sendo um razoável jornalista enquanto piloto de kart, resolvi colocar à prova minha vasta experiência em pilotagem pelas ruas do Albert Park. Com o auxílio do jogo rFactor, escolhi a Ferrari 87/88B, que levou um banho das McLaren em 1988, mas era absolutamente linda.

São seis cilindros em V a 90º que, alimentados por um turbo geram cerca de 600 cavalos para mover os 543 quilos do monoposto. Bem menos potentes que os modelos atuais, que chegam ao redor dos 800 cavalos, e com muito menos aletas aerodinâmicas, os níveis de aderência e velocidade em reta são bem menores do que uma F2008.

Minha vantagem são os pneus Goodyear, slick, visualmente fantásticos e muito mais amigáveis à pilotagem, mesmo que sem controle de tração.

Então partimos para a volta: na reta principal, escalo até a quinta marcha, a 268 km/h, e então freio um pouco antes da placa de 100 metrose reduzo à segunda marcha, a pouco mais de 180 km/h. Contorno o S “Jones/Brabham” e entro na segunda reta onde vou atingir 273 km/h até a forte freada para a curva 3, que faço em primeira marcha, à 90km/h.
Na retomada de velocidade a traseira escapa um pouco, sem o controle de tração e assim acelero com cuidado para contornar a 4, ainda assim o carro foge um pouco de frente e passo além da zebra, em direção à rápida Whiteford, feita em terceira marcha a mais de 200 km/h.

Mais uma pequena reta e a variante de média Albert Road, onde dou uma escapada de frente e coloco duas rodas na terra, o que compromete minha retomada de velocidade na Lauda, uma curva de alta contornada a mais de 240 km/h. Em seguida a segunda freada mais forte do traçado, em preparação para chicane Clark, contornada em primeira marcha a pouco mais de 100 km/h, em direção à reta oposta onde se atinge 270 km/h com a 87/88B.

Dividindo a reta oposta, o S da Walte, é a sessão mais complicada da pista, a entrada poderia ser em quarta marcha, mas depois de duas tentativas falhadas (que resultaram em muro), vou numa conservadora terceira, à 200 km/h, e centralizo o carro mais cedo para a segunda perna, perdendo milésimos inesgotáveis para a inaptidão automobilítica…

Sigo confiante até a freada forte da Ascari, reduzindo para segunda marcha e 170 km/h, enquadro o carro para a Stewart e, num assombro de arrojo, tento contorná-la em terceira marcha, perco a traseira, busco no contra esterço e preparo a freada da Prost, feita em primeira marcha a pouco mais de 70 km/h e desembocando na reta principal. 1min41s002 o tempo da volta. Beeeeem… Uns 12 segundos pior que o mais lento nos treinos de sexta, mas vale justificar que estava num carro de 20 anos atrás?

Anúncios

~ por Bernardo Bercht em março 14, 2008.

2 Respostas to “Volta de instalação – Ferrari 87/88B On-Board”

  1. Que divertido!!!

    Mas não teve tan-tan-tan… com tan-tan-tan ia ficar mais legal!
    Hehehe

  2. Que vergonha fazer essa volta em 1:45 com o carro lançado. Faço em 1:31, e com sobras

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: