Day After (com tam-tam-tam) – Grande Prêmio do Bahrain

Ou seja: Massa finalmente vence, mas o show ficou a cargo de Coulthard

Coulthard brigando com Wurz

No primeiro final de semana em que não dominou amplamente os treinos, Felipe Massa enfim conseguiu abrir seu placar de vitórias no ano e deixar para trás os erros e contratempos que prejudicaram sua performance nas provas anteriores. Ainda assim, falta ao brasileiro o que os britânicos chamam de “racecraft”, a habilidade e o bom julgamento durante as corridas.

Em Sakhir, Massinha conseguiu se manter a frente de um Lewis Hamilton louco por sua primeira vitória, mas ainda que tenha estabelecido domínio, foi uma repetição de suas outras duas vitórias, em 2006. Não sofreu uma ameaça efetiva, mesmo que Hamilton com um McLaren mais leve conseguisse acompanhar seu ritmo, o brasileiro ainda tinha a estratégia superior.

Mesmo nessas condições, Massa errou no início da prova. Deu uma enorma fritada na roda dianteira direita, após perder o ponto de freada. Isso poderia comprometer a sua corrida, não só teve o risco de perder o controle do carro e passar neto na curva, como de chapar o pneu, o que teria comprometido a sua performance até o primeiro pit stop. Não vimos ainda uma corrida em que ele demonstrasse a capacidade de lutar por posições sem cometer erros. Na Malásia, depois de cair para quinto, atrás de um Heidfeld muito mais pesado, se acomodou e comboiou a BMW até o final. Onde ficou a vontade e o arrojo?

Enfim, chega de ser rabujento… Massa venceu, com méritos, só ainda não me convenceu… Vamos às análises time a time:

O que é o pontinho laranja rodopiando em uma nuvem de fumaça lá no fundo? Só pode ser o Adrian Sutil, com sua Spyker endiabrada! Novamente o alemão foi rápido em classificação, mas lamentavelmente tosco na primeira volta. Reclamavam da incapacidade de Yuji Ide (que pilotou a Super Aguri nas três primeiras provas do ano passado, mas teve a super-licença cassada) de andar com outros carros na pista, pois Sutil está levando a uma nova categoria as estabanações, já tem 100% de aproveitamento em batidas na primeira volta. Alberts foi discreto novamente, apenas à frente do companheiro e duas voltas atrás dos líderes.

Toro chocho… Enquanto as irmãzonas Red Bull impressionavam lá na frente, antes de se despedirem em shows pirotécnicos, as caçulinhas ficaram encolhidas no fim do pelotão. Speed deu adeus ao Bahrain ainda na primeira volta, depois que Adrian Sutil operou o nariz da sua Spyker na traseira do carro do norte-americano. Enquanto isso, Liuzzi fazia o seu passeio vespertino nas últimas colocações até abandonar a corrida, na volta 26. Incógnitos.

Cada vez menos Super… Venceu a validade dos RA106 que a Honda vendeu para a Super Aguri brincar nessa temporada. Depois de uma exibição impressionante na estréia, a equipe japonesa só anda de ré. Anthony Davidson ainda mostrou lampejos de perfomance, chegando a figurar na sexta posição, mas isso por ser o último a parar nos boxes, voltando depois à 13ª colocação, mesmo assim superou amplamente as Honda até o seu motor explodir. Não que isso seja grande consolo. Takuma Sato foi medíocre durante todo o final de semana e abandonou também com uma grande coluna de fumaça sendo expelida do seu propulsor, só que atrás da Honda de Barrichello.

“Uma verdade inconveniente”, como diria o Al Gore. No Bahrain, nem o bom ritmo de corrida as Honda conseguiram manter. O RA107 parece cada vez mais com um montão de sucata pronta para a reciclagem, ao invés de um símbolo de transformação para um mundo melhor… Ao menos para melhorar o mundinho da Honda. Jenson Button pareceu nem ligar ao ter sua corrida terminada já na primeira curva. Depois de uma largada ruim, foi atingido na traseira por um concorrente, rodou e apertou o botão errado (??) para que o motor continuasse funcionando. Rubens Barrichello tentou uma estratégia diferente, sendo um dos últimos a parar, mas acabou andando sempre como o menos pior depois das Spykers. Conseguiu alguns momentos de diversão, numa briguinha de veteranos em cadeiras de rodas com Ralf Schumacher, mas foi superado no fim da prova. Mesmo largando melhor do que nas duas primeiras corridas, acabou na pior posição desde o início da temporada, 13º.

Bebidas energéticas podem fazer mal… David Coulthard vinha num embalo impressionante, elétrico, fez a melhor corrida de qualquer piloto no Bahrain. Partindo de 21º, fez excelentes ultrapassagens, manteve um ritmo de prova alucinante e acabou recolhendo aos boxes, em chamas. Nem parecia o escocês das duas primeiras provas, dessa vez deixou as fraldas geriátricas em casa e abandonou como o destaque da corrida. Mark Webber foi mais discreto, mas ainda assim competente, mantendo-se nos pontos até o motor Renault se entregar no fim da corrida.

Galos de briga, sem recompensa. Nico Rosberg, 10º; e Alex Wurz, 11º estão entre os que mais lutaram no Bahrain. No começo da prova as Williams pareciam extremamente competitivas, pressionando a Toyota de Jarno Trulli e a Red Bull de Mark Webber pelos pontos. A competitividade interna e uma estratégia não tão bem planejada, porém, deixaram os bólidos do velho Frank nas mesmas posições em que largaram. Deram um ótimo entretenimento, mas não foram premiados pela ousadia.

Campeões do que mesmo? A Renault continua a escorregar para o meio do pelotão, e não parece que alguma solução ou alma caridosa irá deter essa queda de performance. Giancarlo Fisichella ainda fez um esforço e arrastou o seu carro para a Superpole, mas Heikki Kovalainen amargou a 12ª posição do grid. Na corrida, beneficiados pelo abandono das Red Bull, conseguiram um pontinho, com Fisico, mas longe da briga pelas posições de maior destaque. Dessa vez a TV não conseguiu capturar nenhuma saída de pista de Kovalainen, mas o finlandês foi derrotado novamente pelo companheiro de equipe.

De grão em grão… É especialidade da Toyota agora catar milho… De pontinho em pontinho os japoneses até que estão conseguindo construir alguma reputação nessa temporada. Jarno Trulli precisou da contribuição das duas Red Bull (quebrando) para colecionar mais um 7º lugar para a sua temporada, mas ele também brigou para estar ali na hora certa, ultrapassando Fisichella e sempre se mantendo próximo dos “energéticos”. Ralf Schumacher teve outra corrida para esquecer. Longe de encontrar um acerto adequado no final de semana, passou a tarde brincando de pegar com Barrichello, pela estrondosa 12ª posição…

No vácuo das gigantes. A BMW continuou a caça às líderes e sem perder a regularidade. Com umas 50 toneladas de combustível, Nick Heidfeld conseguiu largar na frente de seu companheiro (e estrela potencial), Robert Kubica, e ainda teve o gostinho de pela primeira vez brigar diretamente com um dos carros de ponta. Por sinal, fez a melhor ultrapassagem da corrida, em uma linda manobra em cima do campeão mundial, Fernando Alonso. Ficou novamente na 4ª posição, frustante por ser fora do pódio, mas com um gostinho muito melhor do que nas outras corridas. Kubica fez uma prova discreta, porém honesta, e finalmente conseguiu levar uns pontinhos para casa, com a 6ª colocação.

Levaram o “X”… Os comandados de Ron Dennis acabaram levando um X da Scuderia no Bahrain. Lewis Hamilton foi o que largou com menos gasolina. Não conseguiu tirar a pole de Massa e nem ultrapassá-lo na corrida, porém… Parou antes de todo mundo, colocou um set de pneus usados para a segunda parte da prova, onde perdeu terreno, e terminou descontando a vantagem de Massa nos pneus duros, mas sem concretizar uma ameaça. Fernando Alonso ficou além da crítica. Parecia estar pesado nos treinos e no início da corrida, mas isso não se confirmou, o problema era o acerto com o carro mesmo (ou aquela peça que fica entre o volante e o motor). Perdeu a 3ª posição nos boxes para Kimi Raikkonen e depois foi ultrapassado inapelavelmente por Nick Heidfeld, caindo para 5º, onde terminou.

De volta à liderança. A Ferrari voltou a demonstrar um ritmo superior ao das McLaren durante o final de semana. Kimi Raikkonen dominou os treinos livres e Felipe Massa foi perfeito na qualificação, escolhendo a quantidade certa de combustível. O finlandês comprometeu suas chances de pole-position ao optar por uma estratégia com 6 voltas a mais de gasolina do que Massa. Sendo o mais pesado dos 4 primeiros, perdeu o 3º posto para Alonso na largada e depois precisou fazer o controle de danos, já que Felipe  estava muito à frente. Mesmo assim, foi novamente apático e propenso a erros. Não chegou a ameaçar Alonso, que tinha um carro problemático, e perdeu várias freadas, quase indo visitar as saídas de escape. O finlandês voltou a empatar na liderança do campeonato, agora acompanhado de Hamilton e Felipe Massa, que pode entrar na briga. Está 5 pontos atrás, mas continua sob pressão, a vitória é a única moeda do brasileiro para “comprar” a sua vaga de primeiro piloto da Ferrari.

Com quatro líderes e as duas últimas provas movimentadas, esse campeonato promete!

Mas…

Massinha… Tacinha

 

Anúncios

~ por Bernardo Bercht em abril 16, 2007.

4 Respostas to “Day After (com tam-tam-tam) – Grande Prêmio do Bahrain”

  1. Maldaaade!!!
    Uai, nem reparei q tinha tanto carro na pista, mas finalmente consegui assistir uma corrida esse ano =) e ver os pneus negresco!! Eu achava q tinha mais recheio…mas tudo bem…

  2. Pára de pegar no pé do Massa, rapa. Na Austrália, por exemplo, ele largou lá de trás e não cometeu nenhum erro, enquanto o Kimi liderou o tempo todo e deu uma saída de pista. Felipe errou mesmo na Malásia. A travadinha no início do GP do bahrein passou despercebido pra quase todo mundo… Só você mesmo hein… o cara estava pressionado pela equipe, pelo Brasil, pela imprensa italiana… e ainda não podia dar uma travadinha? Massa correu muito e está de volta à briga pelo título. Depois de 16 anos, podemos mais uma vez ganhar um título na F1. Nunca, nesse intervalo de tempo, as chances foram tão boas. Mas vai ser difícil, que o duelo entre Ferrari e McLaren está como nos velhos tempos. Vai ser um campeonato muito bom, sem dúvida.
    Não sei se já percebeu, mas eu fiz a tal propaganda sua lá no blog, já que você foi um dos que me ajudou com o youtube. Valeu! Abs

  3. Quando eu vi essa foto do troféu pensei a mesma coisa, sabia? Mas falando dos comentários, gostei de todos. Vc tem um ótimo humor para falar de cada equipe e eu concordo com a grande maioria do que vc escreveu.

    Boa semana.

    Bjs

  4. eu não entendo nada de corridas, mas adorei as tuas análises bem-humoradas, B.! 🙂

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: