Business as usual… Sepang/Malásia

Circuito de Sepang            

            Buenas… Vamos ao assunto que faz parte do nome do blog. Terminados os testes em Sepang, o que deve acontecer no Grande Prêmio da Malásia? A julgar pelos resultados da última semana e algumas entrevistas, a ordem do grid não deve sofrer grandes impactos no geral.

             As três principais forças devem continuar sendo Ferrari, Mclaren e BMW, com Renault fazendo força para manter o quarto posto contra a Williams. No entanto, a diferença da equipe italiana não deve ser tão nítida como na primeira prova, com a Mclaren trabalhando em diversas frentes para brigar de igual para igual.

            O muito esperto Sr. Ron Dennis (meu ídolo, que comprou uma equipe de F1 sem gastar um dólar do seu bolso, historinha que contarei em breve),  pediu para o engenheiro chefe da Mclaren,  Paddy Lowe, escrever à FIA requisitando esclarecimentos quanto às regras de medição da altura do assoalho dos carros, para utilizar um sistema nos mesmos moldes da Scuderia, que, ao invés de ter sustentação rígida, emprega uma mola.             A Federação Internacional negou o pedido da Mclaren, mas para a felicidade dos britânicos, tornou inútil a utilização desse artefato, que possibilitaria maior velocidade em retas, com a força do ar comprimindo a mola em altas velocidades, melhorando a aerodinâmica.  Sem essa engenhoca, fica a dúvida se a Ferrari conseguirá a mesma vantagem para os seus perseguidores da Mclaren

            Mudanças mais relevantes devem acontecer daí para trás, com a Honda trabalhando apresentando um novo pacote aerodinâmico para brigar pelos últimos pontos com a Toyota e com uma disputa ainda mais acirrada para ver quem figurará no top ten da categoria.

             Vamos a alguns humildes prognósticos:

Ferrari

Ferrari –  a Scuderia deveria ser a vencedora incontestável, pela força demonstrada em Melbourne. No entanto, alguns acontecimentos da última semana, colocam certa dúvida se o domínio será tão grande novamente.

             Além da derrota técnica sofrida para a Mclaren quanto ao assoalho móvel, existe a chance do motor de Kimi Raikkonen precisar de uma troca, além das dúvidas quanto à confiabilidade da caixa-de-câmbio, que deixou Felipe Massa na mão, em Melbourne. O próprio Massa não pareceu muito certo da vitória em entrevista nos últimos dias, afirmando que a Ferrari não teria descanso para se manter  na ponta do grid.

             Em resumo: Raikkonen deve brigar pela vitória e Massa é concorrente forte ao pódio, mas tudo depende da confiabilidade mecânica e de quanto vão perder de terreno para a Mclaren.

Mclaren 

Mclaren –  Os britânicos não querem de modo algum mais uma temporada correndo atrás da equipe dominante.  Com a força dos muitos euros da Vodafone, o campeão Fernando Alonso não vai aturar passar as provas como expectador, apenas garantindo lugares menores no pódio, assistindo os bólidos vermelhos sumirem na distância.

             É por isso que o velho Ron está usando de todos os recursos para reduzir a desvantagem imediatamente.  Nos testes em Sepang a Mclaren empregou 7 configurações aerodinâmicas diferentes em 5 dias, saindo da garagem em um cômico arranjo de 4 retrovisores, para comparar o sistema tradicional com a tendência lançada pela Ferrari no último ano, com os espelhos bastante afastados na carenagem.   

             Ou seja: as flechas de prata devem vir com tudo e Alonso deve disputar a vitória, com Hamilton brigando pelo terceiro lugar. Como o próprio príncipe das astúrias declarou:  “Nós podemos diminuir a diferença para a Ferrari em Sepang. 

BMW 

BMW Sauber – A satisfação de Nick Heidfeld mostra o quão forte está a equipe germano-suíça nessa temporada. “Nunca tive um carro tão bom quanto este”, declarou o piloto alemão na última semana.  Ele parece ter todas as razões para o seu comentário, pois foi apenas a estratégia errada da equipe, de sair com os pneus macios na Austrália, que o tirou da briga por um lugar no pódio.

              Esse será o próximo passo óbvio dos germânicos em Sepang. Não faltarão obstáculos, entretanto… Além da amplamente divulgada falta de confiabilidade da transmissão, que tirou o quarto lugar do polonês Robert Kubica na abertura da temporada, também foram pegos de surpresa pela modificação da regra da altura do assoalho, para evitar dispositivos móveis. A exemplo da Ferrari, a BMW também vinha utilizando uma mola para melhorar a performance aerodinâmica nas retas.

              Mãe Diná: querem brigar pela liderança, mas acredito que vão ficar felizes se ambos os carros terminarem a corrida nos pontos. O normal é perder um pouco de performance (Ron Dennis falou em 0,2 segundos por volta), deixando a Renault encostar.

No próximo post comento sobre os que devem brigar pelos pontinhos.

Anúncios

~ por Bernardo Bercht em abril 2, 2007.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: